sábado, 26 de junho de 2010


Só quem viveu a guerra, pode falar algo dela.
Só quem teve medo, pode falar o quanto ele emudece.
Só quem leu o livro pode fazer suas críticas.
Só quem dormiu pode dizer o que sonhou.
Só quem sorri pode dizer o quanto está feliz.
Só quem abraça pode sentir o aconchego.
Só quem dança pode sair do chão.
Só quem beija pode sentir o gosto.
Só quem ama pode viver o amor.
Só quem anda pode chegar.
Só quem compete pode vencer.
Só quem fala pode ser ouvido.
Só quem escreve pode ser lido.
Só quem estende a mão pode ser alcançado.
Só quem cai pode se levantar.
Só quem quer pode ter.
Só quem cansa pode descansar.
Só quem se suja pode se limpar.
Só quem tenta pode conseguir.
Só quem vive pode se lembrar.
Só quem vai pode voltar.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

A lista de Montenegro que parece que foi feita para mim...

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais...
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar...
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria
Quantos amigos você jogou fora?
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?
Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você?
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver?
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?

Oswaldo Montenegro

video

sábado, 12 de junho de 2010

Como estou?

Estou bem.
O coração ta tranqüilo, pensando nele mesmo, sem ninguém por que quer assim.
A cabeça está boa, gostando mais dela mesma.
A voz, idem, conversando melhor consigo...
E os ouvidos estão bem atentos às coisas ao redor.
Meus pés continuam pisando o chão firme em passos largos e mais certos, embora olhem tanto pra cima querendo voar um pouco.
Minhas mãos estão estendidas e conseguem chegar mais longe.
Os olhos não param de me olhar e de olhar pra frente, sem cansar a vista...

Eu continuo andando e vivendo bem assim,
Sentindo o cheiro virgem do ar que está à minha frente.